27 novembro 2008

Canhoto da Paraíba - O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso (1977) + Fantasia Nordestina Vol. 2 (1990)

Capa do disco
Clique aqui para baixar o disco "O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso" /Download the album "O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso" - RapidShare
+ 5 faixas bônus / + 5 bonus tracks

Clique aqui para baixar o disco "Fantasia Nordestina Vol. 2" /Download the album "Fantasia Nordestina Vol. 2" - RapidShare
+ 7 faixas bônus / + 7 bonus tracks
Este disco foi um presente do grande amigo Marcos Maia / This record was a gift from my great friend Marcos Maia

........................................................

Canhoto da ParaíbaSe a escola de violões é a melhor do mundo, Francisco Soares de Araújo, o Canhoto da Paraíba, é um dos mais surpreendentes expoentes. Seus choros têm um sotaque nordestino delicioso. Seu estilo de tocar é único. Como era obrigado a compartilhar o instrumento com os irmãos, não podia inverter as cordas, o que o fez tocar em um instrumento afinado para destros. O pai não conseguia ensinar-lhe: "Ih, meu filho, tem jeito não. Pra lhe ensinar tem que botá de cabeça pra baixo ou diante de um espelho". Teve que aprender tudo sozinho.

Em 1959, uma legendária excursão de músicos nordestinos viajou dias de jipe com destino à casa de Jacob do Bandolim no bairro de Jacarepaguá no Rio de Janeiro, onde aconteciam os maiores saraus da época. Reza a lenda, que no primeiro sarau em que se apresentaram para a nata dos músicos brasileiros, Radamés Ganttali ficou tão impressinado que gritou um palavrão e jogou seu copo de cerveja no teto. Para recordar o momento, Jacob nunca limpou a mancha no teto. Considerando o temperamento explosivo de Radamés e o virtuosimo de Canhoto, a história até é factível, pena que parece que é falsa. Histórias saborosas assim todo mundo deveria acreditar. O fato é que esta reunião foi tão impactante, que um moleque que a assistiu, filho de um dos músicos participantes, resolveu por causa disso aprender música. Hoje ele é conhecido como Paulinho da Viola.

Estabelecido em Recife, desde 1958, somente dez anos depois, Canhoto da Paraíba conseguiu gravar seu segundo disco, Único Amor pela finada gravadora Rozenblit. Este disco é que está sendo agora relançado em CD, com apoio de João Florentino, dono da rede de lojas Aky Discos e do selo Polysom. Entre tantos ótimos violonistas na cidade na época, Canhoto surpreendeu na escolha de quem iria acompanhá-lo. Escolheu o jovem Henrique Annes, de 22 anos e formação clássica. Francisco Soares sabia das coisas. Henrique veio a se tornar um dos maiores violonistas brasileiros, e fez parte de alguns dos mais interessantes projetos instrumentais, como a Orquestra de Cordas Dedilhadas de Pernambuco (que tem um maravilhoso disco relançado em CD) e lidera o grupo Oficina de Cordas. Se achou esta dupla pouco, é que ainda não sabe quem foi o produtor musical do disco. Nada menos do que o maestro Nelson Ferreira, o maior maestro/orquestrador de frevos que já existiu.

Canhoto veio a gravar apenas mais dois discos de carreira, ambos antológicos. Em 77, Paulinho da Viola produziu para a Discos Marcus Pereira o "Com mais de Mil". Esse disco já foi lançado em CD, mas os babacas da EMI trataram de tirar de catálogo quando compraram o acervo da Copacabana. Pela finada Caju Music gravou em 1993, seu último disco, "Pisando em Brasa", com as participações especiais de Rafael Rabello e Paulinho da Viola. Ainda pode-se encontrar este disco em CD pela Kuarup. Recentemente saiu em CD sua entrevista para o programa Ensaio da TV Cultura. Em 1998, Canhoto sofre uma isquemia cerebral e fica com o lado esquerdo do corpo paralizado, impossibilitando-o de tocar.

Se você não tá levando fé no que estou escrevendo -- Ora, como um violonista que quase ninguém ouviu falar pode ser tão bom? -- vou transcrever aqui a opinião de duas pessoas que entendem muito mais de música do que eu. Uma é o Paulinho da Viola, que não só produziu seu primeiro disco, como rodou o país com Canhoto pelo Projeto Pixinguinha.

Paulinho dizia que era comum Chico Soares roubar o show, sendo muito mais aplaudido do que ele. Paulinho também gravou em seu primeiro disco de 1971 o belíssimo choro "Abraçando Chico Soares", que fez no estilo de composição do amigo. Veja o que Paulinho diz sobre ele:

"Eu não queria participar daquelas rodas (de choro) como músico. Quando vi o Canhoto tocar fiquei tão entusiasmado que me toquei. Era tão sublime, tão tecnicamente perfeito. Acho que o Canhoto me influenciou a tocar, mais do que meu pai e Jacob (do Bandolim)."
Paulinho da Viola

Quer mais? Então veja este trecho de entrevista de um dos mais perfeccionistas músicos brasileiros, Jacob do Bandolim. Ele está mostrando uma gravação e falando de 1959, quando recebeu a excursão de músicos nordestinos em sua casa. Veja que ele se refere a Canhoto por seu apelido de "Sacristão", que ganhou quando criança como assistente do padre de sua cidade. Fala aí, Jacob:

"... O problema aqui nesta gravação do Chico Soares reside apenas em que vocês pra executarem estas músicas gravadas, vocês vão virar canhotos de uma hora para outra. E só assim, porque o homem tem o diabo no corpo. ... Nós vivíamos a correr de um lado para outro, a tocar para uns, para outros, e todos queriam conhecer o Sacristão, que aliás era o vedete do grupo. E observe bem que você não vai encontrar qualquer erro da parte dele. Quero afirmar a você, sob palavra, que durante os 15 dias que esse homem permaneceu aqui, em nossa casa em Jacarepaguá, este homem repetiu estas músicas várias vezes, dezenas e dezenas de vezes, em vários lugares, nas condições mais absurdas, sentado confortavelmente ou não, num ambiente agradável ou não ... , nas condições mais absurdas. De manhã cedo, às 6h da manhã, ele às vezes me acordava tocando violão. Adormecia tocando violão. Dentro de uma simplicidade tremenda sem errar nem uma nota! Eu nunca vi Sacristão errar uma nota! ... o homem tocava mesmo, não era brincadeira. Os outros tinham suas falhas, suas emoções, suas emotividades, mas o Chico Soares, não. Tocava rindo na minha cara, com um sorriso muito ingênuo de quem não estava fazendo nada de mais. Um artista enterrado lá em Recife ... é digno de toda nossa admiração, de todo nosso respeito, porque ele encarna nesta figura, uma porção de brasileiros que vivem enterrados por estes rincões afora, verdadeiros valores completamente no ostracismo ..."
Jacob do Bandolim

E viva Canhoto da Paraíba!

Paulo Eduardo Neves - extraído do site Agenda do Samba & Choro

************************

Canhoto da ParaíbaComing from a family of musicians, Canhoto da Paraíba learned to play the violão (acoustic guitar) when he was very young. As he is left-handed (canhoto) and there was only one instrument to be shared by he and his brothers, he learned to play in an inverted position, stunning observers with his prodigious soloing technique in such an unfavorable setup. Throughout his career, he not only participated in hundreds of recordings and radio performances, accompanying the stars of song, but he also was a recognized master on his own, both as an instrumentalist and composer. His most successful choros, "Com Mais de Mil" and "Visitando o Recife," are of the genre's highest level, being some of the most representative of the choro Pernambucano style (the style developed in Pernambuco that presents individualizing characteristics in relation to the Carioca choro).

The development of the choro genre in the Northeast was similar to the Carioca process, where several radio outings kept regionais (small accompanying ensembles). The difference is that in Rio the regionais were led by flutists or mandolinists, while in the Northeast they had violonistas (acoustic guitar players) as leaders; Canhoto da Paraíba was one of these.

In 1953, he signed with Rádio Tabajara in João Pessoa PB, staying there for five years. There, he organized his first regional. In 1958, he returned to Recife PE, and was hired by Rádio Jornal do Comércio, being featured in the show Quando os Violões se Encontram, in which Miro José (who introduced the seven-string violão in Pernambuco), Tozinho, Wilson Sandes, Ernani Reis, Romualdo, Ceça, Zé do Carmo, and others also used to perform.

In that period, he performed regularly with masters of choro, like mandolinist Rossini Ferreira, accordionist Sivuca, and mandolinist Luperce Miranda. In October 1959, together with João Dias, Dona Ceça, Zé do Carmo, and Rossini Ferreira, da Paraíba went to Rio de Janeiro being praised by such icons as Pixinguinha, Radamés Gnattali, Jacob do Bandolim, and Paulinho da Viola, who paid homage to him with the choro "Abraçando o Chico Soares" (1971) and with the production of the LP Canhoto da Paraíba: Com Mais de Mil (or O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso) (Marcus Pereira, 1977). In 1993, he recorded the CD Pisando em Brasa (Caju Music).

Alvaro Neder - extracted from All Music Guide

14 comentários:

lowcostmusic disse...

Muito grato pelo ótimo rip e pelas faixas extras!!! Nem parece ripado de vinyl!!!

Eu já tinha ripado esse lp mas não chega nem aos pés. (vide http://www.avaxhome.ru/music/canhoto_da_paraiba_o_violao_brasileiro_tocado_pelo_avesso.html)

Quem quiser baixar a capa (frente e verso) em 300 dpi acesse:
http://rapidshare.de/files/22372364/capa.rar.html

lowcostmusic disse...

PS Continuo procurando um reprodutor de k7 para poder procurar uma certa fita de um certo festival de jazz :-)

mvcosta disse...

Blz. Estou aguardando o post do show.

Valeu pelas capas. Vou disponibilizar no post.

Urariano Mota disse...

Dê uma olhada em "Jacob do Bandolim plagiou Canhoto da Paraíba?" em http://urarianoms.blog.uol.com.br/
Há indícios de prova, como diria um advogado.
Abraço.

Anônimo disse...

Ola impressionante seu blog, pena que o Link do CANHOTO esteja indisponivel.....me da uma luz.

obrigado..

mvcosta disse...

Canhoto da Paraíba - "O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso" (1977 - Discos Marcus Pereira MP-10049)

1. Tua Imagem
(Canhoto da Paraíba)

2. Amigo Sena
(Canhoto da Paraíba)

3. Corrinha
(Canhoto da Paraíba)

4. Com Mais de Mil
(Canhoto da Paraíba)

5. Lembrança Que Ficou
(Canhoto da Paraíba)

6. Subindo ao Céu
(Aristides Borges)

7. Visitando o Recife
(Canhoto da Paraíba)

8. Todo Cuidado É Pouco
(Canhoto da Paraíba)

9. Revendo um Amigo
(Canhoto da Paraíba)

10. Choro na Madrugada
(Canhoto da Paraíba)

11. Valsa a Tozinho
(Canhoto da Paraíba)

12. Pisando em Brasa
(Canhoto da Paraíba)

13. Banhado em Lágrimas [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)

14. Sons de Carrilhões [bonus track]
(João Pernambuco)

15. Guriatã de Coqueiro [bonus track]
(Ratinho)

16. Saxofone, Por Que Choras? [bonus track]
(Ratinho)

17. Entrando na Bossa [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)


1 - 12:
Canhoto da Paraíba: violão
César Faria: violão
Jonas Pereira da Silva: cavaquinho
Jorginho do Pandeiro: pandeiro
Hércules Pereira Nunes: ritmo

Produtor: Paulinho da Viola


13 - 17:
do disco "A Música Brasileira Deste Século por Seus Autores e Intérpretes" (2001 - Sesc São Paulo / JCB Produções Artísticas JCB-0709-042)
Canhoto da Paraíba: violão
César Batista Faria: violão
Paulinho da Viola: cavaquinho
Celsinho Silva: pandeiro

Produtor: J. C. Botezelli
gravação realizada em 12/04/1994 para o programa " Ensaio", dirigido por Fernando Faro na TV Cultura de São Paulo

mvcosta disse...

Canhoto da Paraíba - "Fantasia Nordestina Vol. 2" (1990)

1. Maringá
(Joubert de Carvalho)

2. Glória da Relâmpago
(Canhoto da Paraíba)

3. Prece ao Vento
(Gilvan Chaves - Alcir P. Vermelho - Fernando Luís)

4. Gostosinho
(Canhoto da Paraíba)

5. A Jangada Voltou Só / É Doce Morrer no Mar
(Dorival Caymmi)

6. Paraíba
(Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira)

7. Mulher Rendeira / Disparada
(Domínio público) / (Geraldo Vandré - Theo de Barros)

8. Boiadeiro / Menino de Braçanã
(Klécius Caldas - Armando Cavalcanti) / (Luis Vieira - Arnaldo Passos)

9. Pisando em Brasas / Asa Branca / Vassourinhas
(Canhoto da Paraíba) / (Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira) / (Mathias da Rocha - Joana Batista)

10. Escadaria
(Pedro Raimundo)

11. Tua Imagem [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)

12. Tá Quentinho [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)

13. Memórias de Sebastião Malta [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)

14. Mulher Rendeira [bonus track]
(Zé do Norte)

15. Menina da Ladeira / André de Sapato Novo [bonus track]
(João Só) / (André Victor Correia)

16. Reencontro com Paulinho [bonus track]
(Canhoto da Paraíba)

17. Escadaria [bonus track]
(Pedro Raimundo)


1 - 10:
Produção executiva e direção artística: Geraldinho Magalhães e Lula Queiroga
Técnico de gravação e mixagem: Tião do Valle
Arranjos de base: Canhoto da Paraíba
Coordenação, capa e arte-final: O&M Propaganda
Fotos: Adelmo Sales

gravado nos Estúdios Estação do Som (Recife, out/90)


11 - 17:
Canhoto da Paraíba / Zimbo Trio - "Instrumental no CCBB" (1993 - Tom Brasil TBCCBB9)

[heatmydeck] disse...

Olá.
Parabéns pelo blog, trabalho fantástico!
Eu estou á procura do ultimo Cd do Carlos Pontual, "Instrumental Social"... será q vcs poderiam disponibilizar o download?
Obrigado.

Anônimo disse...

Fiz 3 tentativas de baixar Canhoto da Paraíba (1 e 2) o link quebra. Por favor amigo, verifique o problema. Muito obrigado. Fernando Gregório (Belém-PA)

Anônimo disse...

corrigindo. onde se lê o link quebra, lê-se: os links estão quebrados.
Obrigado.

mvcosta disse...

Fernando,
Testei aqui. Os links estão ok.
abs,
mvcosta

Munju disse...

Thank you for your great work!

..::New Feature::..

PNF Blogwatch beta

Discover the latest posts from your favorite music blogs at one place!!

http://www.prognotfrog.com/blogwatch

check it out!

cheers! :)

Anônimo disse...

Obrigado!

Hj 28/06/2010 os dois links estão funcionando.

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.

Clicky Web Analytics